Inscreva-se em nosso canal no YouTube.

Programa Silvio Santos Especial 60 anos: Uma história de sucesso, inovação e muita diversão

Em 1963, o diretor da extinta TV Paulista (canal 5), Paulo de Grammont, ofereceu a Silvio Santos a oportunidade de alugar o horário vespertino dominical da emissora, que à época ficava fora do ar, para que ele apresentasse um novo programa de televisão. Mesmo sabendo que não havia tradição do grande público em assistir televisão neste período, a visão inovadora de Silvio Santos o fez acreditar na oferta e topar o desafio: no domingo, dia 02 de junho, estreava repleto de variedades, brincadeiras e prêmios o Programa Silvio Santos.

Inicialmente exibido do meio-dia até às 14h30, contava com três atrações: Cuidado com a Buzina, o primeiro programa de calouros comandado por Silvio Santos, Justiça dos Homens, esquetes dramatúrgicas que finalizavam com julgamento no palco, e Pra Ganhar é Só Rodar, que já era apresentado há alguns anos no horário noturno da emissora, e Silvio o transferira para dentro do dominical. A audiência, até então inexistente, começa a aumentar e colocar a TV Paulista dentre o topo das emissoras de São Paulo.

Ao longo da década, foi ganhando tempo, novas atrações foram surgindo, e o inevitável crescimento veio acompanhado de um estrondoso sucesso. Em 1964, ao mesmo tempo em que comandara o dominical pela TV Paulista, a Publicidade Silvio Santos, empresa que produzia independentemente seus programas, passa também a alugar espaço na programação da TV Tupi, extinto canal 4 de São Paulo, para apresentar outras atrações. A estreia se deu com Festival da Casa Própria, em novembro daquele ano, e pela primeira vez, um programa de televisão entregava uma casa para seus telespectadores.

Silvio Santos em programas da década de 60: Pra Ganhar é Só Rodar (Tobias Vaclav/SBT)

Na década de 60, destacam-se entre os grandes sucessos do Programa Silvio Santos: Corrida da Bola Branca, Rainha por Um Dia, Essas Crianças, Rodada de Ouro, Partida de Cem, Os Galãs Cantam e Dançam aos Domingos, Música e Alegria, Pergunte e Dance, Cidade Contra Cidade além dos já mencionados Pra Ganhar é Só Rodar e Cuidado com a Buzina. Em 1965, a TV Paulista é vendida para o Grupo Globo, e a nova emissora – TV Globo – passa a ser a “casa” do Programa Silvio Santos dominical.

Em 1969, já era considerado um fenômeno em audiência e inovação, sendo o único programa de TV independente com uma produção de mais de 11 horas semanais (9 horas e meia aos domingos + 3 horas semanais em média). O dominical batia o Ibope do badalado “Jovem Guarda“, na RecordTV, com Roberto Carlos, e o semanal noturno – à época Cidade Contra Cidade – chegou ao patamar de apenas 1 ponto sob a transmissão da chegada do homem à lua, exibido num pool de emissoras brasileiras. No mesmo ano, o Troféu Imprensa passa a fazer parte anualmente de sua programação.

Sua Majestade o Ibope (Moacyr dos Santos/SBT)

Na década de 70, a consolidação de um grande trabalho, marcou com programas inesquecíveis: Boa Noite Cinderela, Só Compra Quem Tem, Arrisca Tudo, Show da Loteria Esportiva, Sinos de Belém, Silvio Santos Show, Os Grandes Momentos de Sua Vida, Viva o Samba, Silvio Santos Diferente, Sua Majestade o Ibope, Disco de Ouro e Show de Talentos Anônimos. Em 1973, em mais de uma ocasião, alcança 100% de participação na audiência em vários minutos, recordes pouco atingidos na história da TV brasileira.

No programa Sinos de Belém, Silvio mostrava sua vertente corajosa, subindo em escadas de bombeiros ou sendo alvo de atiradores de facas. Já no Silvio Santos Diferente, o animador apresentava-se mais sério, em tom sóbrio, entrevistando artistas polêmicos com o apoio de um júri diverso e eclético. Em 1972, o Programa Silvio Santos semanal noturno, pela Tupi, passa a ser colorido, quando produzido nos estúdios da emissora, no Sumaré. Na mesma época, o grande volume de produção faz com que seja criada a produtora Estúdios Silvio Santos Cinema e Televisão, responsável pela produção dos programas. O que havia iniciado com um único produtor e diretor – Luciano Callegari – agora passava a contar com uma equipe de mais de 50 pessoas entre produtores, técnicos, cenógrafos, camarins e maquiagem. Os estúdios da Vila Guilherme também passam a abrigar a gravação de alguns programas exibidos na atração semanal.

Clássicos que estrearam na segunda metade da década de 70: Domingo no Parque. (Foto: João Batista da Silva/SBT)

Em 1976 o dominical deixa a Globo, onde era produzido em preto e branco, e passa a ser apresentado pela então formada Rede Tupi, para todo o Brasil, agora em cores, ao mesmo tempo em que era exibido por sua primeira emissora de TV, a TV Studios Silvio Santos, ou TVS Canal 11 do Rio de Janeiro. Novos programas vão ao ar, programas estes que estão até hoje na memória do público: Show de Calouros, Domingo no Parque, Qual é a Música, Namoro na TV, uma nova versão do Cidade Contra Cidade, e Festival de Sucessos.

Em 1980, em decorrência de dificuldades da Rede Tupi, passa também a ser apresentado pela RecordTV para São Paulo, e uma Rede de Emissoras Independentes pelo Brasil, somando a TVS Rio. No ano seguinte, o Grupo Silvio Santos, já reconhecido por sua sólida e pujante atuação de norte a sul do Brasil, conquista a concessão do SBT – Sistema Brasileiro de Televisão, e o Programa Silvio Santos vai ao ar por sua própria rede para todo o país.

Show de Calouros: Sonia Lima, Aracy de Almeida, Luis Ricardo, Nelson Rubens e Mara Maravilha (João Batista da Silva/SBT)

Nos anos 80 estreiam: Câmera Indiscreta (que trouxe as Câmeras Escondidas), Porta da Esperança, Roletrando, Cinderela, O Preço Certo, O Dia que Você Nasceu, Ela Disse Ele Disse (que teve uma versão na década anterior), Tudo por Dinheiro, Show de Prêmios, dentre outros. Em abril de 1988, Gugu Liberato divide os domingos com Silvio Santos, criando uma nova tradição na TV.

Com a chegada dos anos 90, novas e diversificadas atrações: Topa Tudo por Dinheiro, Em Nome do Amor, Gol Show, Tentação, Hot Hot Hot, Sorteio da Tele Sena, Festival da Casa Própria, Xaveco, a nova versão do Qual é a Música, são alguns dos sucessos da época, e Silvio Santos mostra que se renova a cada momento. No início da década de 2000, duas atrações chancelam que o Programa Silvio Santos não para no tempo, e está sempre antenado às inovações: Show do Milhão, um game show que marcou o público e teve recorde de cartas em promoção patrocinada, e um novo gênero de programas de televisão é apresentado: Casa dos Artistas parou o Brasil apresentando os realities de confinamento em uma casa com 33 câmeras.

Ainda na década, estreia Roda a Roda, Casamento à Moda Antiga, Topa ou Não Topa, Todos Contra Um, O Grande Perdedor, Protagonistas de Novelas, e outros. Mas em 2008, Silvio Santos reúne mais de 50 anos de atrações, repaginadas e modernizadas no Novo Programa Silvio Santos.

As novidades vão muito além do nome, trazendo brincadeiras, concursos (que revelaram novos nomes do meio artístico), quadros musicais, gincanas, os novos Jogo das Três Pistas e Jogo dos Pontinhos – que teve sua primeira versão na década de 70 no programa Quem Sabe Mais o Homem ou a Mulher – as inusitadas e hilárias situações da melhor idade com Os Velhinhos se Divertem; e as Câmeras Escondidas, que se diversificaram investindo em temas de terror, lançando alguns dos maiores virais do planeta nas plataformas e redes sociais como A Menina Fantasma do Elevador, e versões de grandes lançamentos do cinema como Chucky (Brinquedo Assassino), Annabelle, It a Coisa, Carrie a Estranha, Boneco do Mal, entre outras, exibidos nas principais telonas em diversos países, rejuvenescendo e globalizando o programa. As “Câmeras” com temática infantil também resgataram grandes clássicos da TV como Vila Sésamo e O Picapau Amarelo, de Monteiro Lobato.

Na década seguinte, novos games: Um Milhão na Mesa, Vamos Brincar de Forca (uma versão do primeiro programa idealizado por Silvio Santos), Jogo das Fichas, e a nova versão do Pra Ganhar é Só Rodar.

Em 2020, preservando à saúde em decorrência da pandemia, Silvio Santos se afastou do comando da atração, mas não parou um segundo: esteve atento às novidades para a programação do SBT, e assim que possível, voltou ao palco. No ano seguinte, Patricia Abravanel, que já participa da atração desde 2011, traz novos quadros, revezando-se com o pai na apresentação, mantendo sempre o alto astral, com o principal objetivo que permeia o Programa Silvio Santos ao longo de 60 anos: trazer muita alegria a todo o público, para que o domingo seja leve, gostoso, repleto de gargalhadas e bom humor, reunindo a família brasileira em frente à TV.

  • https://stm16.xcast.com.br:7334/